Conheça os Top 6 golpes mais aplicados com o Pix e saiba como evitar todos eles

Segunda-feira, dia 16 de novembro, o Pix teve seu início oficial. O novo meio de pagamento instantâneo do Banco Central tem como objetivo maior controle do governo com operações bancárias e também maior segurança.

Anúncio

No entanto, mesmo com toda segurança, a criatividade dos golpistas causa espanto. E antes mesmo do Pix entrar em atividade já foram descobertos os primeiros golpes para roubar dados cadastrais.

Dessa forma, nesse momento que o sistema está em pleno vigor, é esperado que a quantidade de golpes aumente nos dias que virão. Somente no primeiro dia, em que as chaves começaram a ser cadastradas, já foram identificados 30 sites falsos para roubar dados.

Anúncio

Foram listados, pela consultoria de gestão e tecnologia (Capco) os golpes mais recorrentes. Entre eles estão: Código QR falso, funcionário falso, sms falso, WhatsApp falso, cadastro indevido de chaves, entre vários outros. Conheçam dicas valiosas que vão ajudar vocês e as pessoas que você conhece para se protegerem contra esses parasitas.

1 – QR Code Falso

A pessoa recebe um código QR falso para estar realizando um pagamento a alguma pessoa que diz ser conhecido da pessoa ou até mesmo um comerciante. No entanto, esse código vai encaminhar para um pagamento ao criminoso.

Como uma forma de evitar cair nessa jogada sempre verifique se o código QR é de origem segura. Ademais, verifique a causa para o recebimento do pedido de pagamento.

Anúncio

2 – Cadastro indevido de chaves

Qualquer golpistas tem poder para cadastrar chaves com CPF, e-mail ou celular de alguém como se fossem suas. Desta maneira, uma transferência para os reais proprietários dos dados será encaminhada aos criminosos.

Ao realizar o cadastro dos dados, um código é emitido ao celular ou computador do dono das chaves, para estar confirmando o cadastro. Dessa forma, o golpista será obrigado a entrar em contato com o usuário, se passando por outra pessoa, para conseguir o código e concluir o cadastramento.

Anúncio

Apenas você pode estar confirmando os dados com o link que tiver recebido da instituição financeira. Ou seja, sempre confira a origem do link e nunca faça uma confirmação de suas chaves para ninguém.

3 – Falso funcionário

Criminosos normalmente fazem ligações para pessoas se identificando como empregados de uma determinada instituição financeira. Eles comentam que necessitam fazer algum tipo de operação urgente e, devido a isso, requerem dados como CPF ou até mesmo senhas.

Então nunca compartilhe seus dados como esses por telefone ou e-mail. O banco já possui seus dados e não tem necessidade de solicitar tais informações. Outro ponto é, funcionários da instituição financeira não são autorizados a terem contato com suas senhas.

4 – Falso SMS ou WhatsApp

Essa modalidade de golpe existe uma semelhança grande com o golpe do falso funcionário. Os golpistas mandam mensagens de texto com links e requisitam que o cliente esteja clicando rapidamente para solucionar algum problema de registro.

PIX é um sistema remoto de pagamentos instantâneos gerido pelo Banco Central do Brasil (BCB)

Em outras situações, a mensagem vem com um pedido para que o cliente faça uma ligação para um telefone falso. O golpista recebe a ligação se fazendo passar por um funcionário da instituição financeira e colhe os dados do usuário.

A dica para evitar esse golpe é não clicar em links ou compartilhar seus dados caso não tenha absoluta certeza que a solicitação é real.

5 – Ajuda de estranhos

Golpistas oferecem ajuda para cliente com dúvidas ou dificuldades em concluir uma operação. Essa é uma hipótese que faz os golpistas desviarem dinheiro do pagamento para a conta deles.

Por essa razão, não esteja aceitando a ajuda de estranhos. Caso não consiga utilizar o Pix, utiliza outra maneira de realizar o pagamento. Em seguida, peça para um amigo te ensinar a utilizar o sistema.

6 – Invasão de dispositivos

Os golpistas fazem ligações para clientes de instituições financeiras dizendo que precisam fazer ajustes nos computadores, tablets ou celulares, para que estejam liberados a realizar transações com Pix. Dessa maneira, o criminoso tem poder de invadir os aparelhos e roubar senhas, chaves e dados pessoais. Não permita esse acesso.

Fonte: editalconcursosbrasil fotos: brinvesting/cartaodecredito

Anúncio
Anúncio